Email


Sei que há muita gente que consulta este blogue e utiliza os materiais aqui publicados, mas poucos deixam comentários e eu gostava mesmo de saber a vossa opinião... :-)

quarta-feira, 20 de abril de 2016

FELIZMENTE HÁ LUAR!

5 comentários:

  1. Olá! Antes de tudo, obrigada pela partilha destas fichas, que dão muito jeito. Eu sei que o que vou perguntar é relacionado com o Felizmente Há Luar, mas como esta é a publicação mais recente vou expor a minha dúvida aqui:
    As funções sintáticas que podem integrar o predicado são os complementos direto, indireto, agente da passiva, obliquo, predicativo do c.d, predicativo do sujeito e modificador do grupo verbal?
    Obrigada pela ajuda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Marta, boa noite. Há três funções sintáticas que não pertencem ao predicado: sujeito, vocativo e modificador de frase. Logo, todas as outras lhe pertencem, ou seja, você está correta. Há ainda os complementos do nome e do adjetivo, que poderão pertencer-lhe ou não (caso complementem o sujeito, por exemplo, não pertencem ao predicado, como será lógico). Volte sempre!

      Eliminar
    2. Obrigada pela resposta! Agora já entendi :) Tenho ainda outra dúvida: qual é a diferença entre modificador de frase e modificador do grupo verbal? Há algum truque para distingui-los? Eu costumo pensar: o modificador de frase e do grupo verbal são ambos facultativos na frase e, quando retirados, não se perde a boa formação da frase. Mas o modificador de frase vem antes do verbo. É assim que podemos distingui-los? E todos os modificadores- modificador de frase, modificador do grupo verbal, modificador apositivo e restritivo são facultativos na frase? Desculpe o incómodo, mas como estou a estudar a gramática, estas dúvidas surgem e é sempre mais simples e rápido perguntar aqui. Obrigada mais uma vez!

      Eliminar
    3. Olá, Marta. Desculpe a demora da resposta, mas já ando a corrigir os primeiros testes do período. Então é assim: pela posição na frase não os distingue, isto é, a famosa resposta do General Humberto Delgado "Obviamente, demito-o.", poderia ter o modificador de frase- "Obviamente"- depois do verbo ("Demito-o, obviamente."). Eu costumo explicar aos meus alunos que o modificador de frase traduz a opinião, o ponto de vista, do emissor (o que para mim é "felizmente", para outro pode ser "infelizmente: "Infelizmente, hoje está sol. Precisava mesmo da chuva para regar as batatas."- Entende?). O modificador do grupo verbal, normalmente, tem valor de tempo, lugar ou modo. Quanto aos modificadores do nome, sim, podem ser retirados. A frase, se os retirarmos, não fica agramatical, mas a mensagem altera-se um pouco, a saber: Os alunos que terminaram o teste saíram mais cedo. Se retirarmos a oração subordinada adjetiva, que é um modificador restritivo do nome, a frase não fica agramatical, de facto (Os alunos saíram mais cedo.). Porém, o sentido inicial da frase muda, pois sem essa oração adjetiva todos os alunos passam a ter saído mais cedo, e não apenas os que terminaram o teste, compreende? Já com o modificador apositivo do nome, como é explicativo, esse problema não se dá: "A Maria, que fez anos ontem, recebeu um computador." Podemos retirar a oração subordinada adjetiva relativa explicativa sem qualquer alteração da frase. Espero ter ajudado. Bjinhos.

      Eliminar
    4. Ajudou imenso. Sempre tive esta dúvida e finalmente já entendi. Afinal não é tão difícil como eu pensava que era. Muito, muito obrigada!

      Eliminar