Email


Sei que há muita gente que consulta este blogue e utiliza os materiais aqui publicados, mas poucos deixam comentários e eu gostava mesmo de saber a vossa opinião... :-)

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Textos de caráter autobiográfico- 10º- ficha corrigida

FICHA DE TRABALHO- TEXTOS DE CARÁTER AUTOBIOGRÁFICO
     “Postal dos Correios”, Rio Grande

Querida mãe, querido pai. Então que tal?
Nós andamos do jeito que Deus quer
Entre os dias que passam menos mal
Lá vem um que nos dá mais que fazer

Mas falemos de coisas bem melhores
A Laurinda faz vestidos por medida
O rapaz estuda nos computadores
Dizem que é um emprego com saída

Cá chegou direitinha a encomenda
Pelo "expresso" que parou na Piedade
Pão de trigo e linguiça prà merenda
Sempre dá para enganar a saudade

Espero que não demorem a mandar
Novidades na volta do correio
A ribeira corre bem ou vai secar?
Como estão as oliveiras de "candeio"?

Já não tenho mais assunto pra escrever
Cumprimentos ao nosso pessoal
Um abraço deste que tanto vos quer
Sou capaz de ir aí pelo Natal.

1.    Atenta na letra da canção dos Rio Grande, acima transcrita. A que tipo de textos de caráter autobiográfico pertence? Exemplifica a tua resposta com uma passagem do texto.
2.    Identifica o remetente (ou remetentes), destinatários da mensagem e locais onde ambos habitam.
3.    Classifica a carta quanto ao tipo, justificando a tua resposta com passagens textuais.
4.    Agora, redige o texto novamente, respeitando a sua estrutura.
5.    Podemos considerar o último verso um Post Scriptum?
A professora: Lucinda Cunha

***
Correção da ficha:

1.Este texto é uma carta (ou um postal, como se vê pelo título): “Querida mãe, querido pai.”; “Um abraço deste que tanto vos quer”.
2.O remetente desta carta é um homem, cujo nome desconhecemos, que escreve em seu nome, no da mulher (Laurinda) e no do filho que, segundo o pai, “estuda nos computadores”. Depreende-se que os pais moram no interior, num ambiente rural (“Como estão as oliveiras”) e o filho na cidade, mais propriamente na zona de Lisboa (“Pelo "expresso" que parou na Piedade”).
3.Esta carta é do tipo privado/ familiar, de caráter informal, como se vê pela saudação familiar (“Querida mãe, querido pai. Então que tal?”) e pela fórmula de despedida (“Cumprimentos ao nosso pessoal /Um abraço deste que tanto vos quer”), que indicia proximidade entre os interlocutores. Nota-se ainda o tom pessoal e de relato de vivências íntimas (“A Laurinda faz vestidos por medida / O rapaz estuda nos computadores”; “Cá chegou direitinha a encomenda”; “A ribeira corre bem ou vai secar? “) e a cumplicidade (“Sou capaz de ir aí pelo Natal.”).



 4.
Lisboa, Data (desconhecida)
Querida mãe, querido pai.

Então que tal? Nós andamos do jeito que Deus quer . Entre os dias que passam menos mal, lá vem um que nos dá mais que fazer .
Mas falemos de coisas bem melhores. A Laurinda faz vestidos por medida e o rapaz estuda nos computadores. Dizem que é um emprego com saída.
Cá chegou direitinha a encomenda pelo "expresso" que parou na Piedade: pão de trigo e linguiça para a merenda . Sempre dá para enganar a saudade.
Espero que não demorem a mandar novidades na volta do correio. A ribeira corre bem ou vai secar? Como estão as oliveiras de "candeio"?
Já não tenho mais assunto pra escrever.
Cumprimentos ao nosso pessoal.
Um abraço deste que tanto vos quer.

                                      Assinatura

P.S. Sou capaz de ir aí pelo Natal.


5.Sim, porque se trata de um aditamento que o remetente fez à carta, já depois da assinatura, para acrescentar algo que se esqueceu de referir.

Sem comentários:

Enviar um comentário