Email


Sei que há muita gente que consulta este blogue e utiliza os materiais aqui publicados, mas poucos deixam comentários e eu gostava mesmo de saber a vossa opinião... :-)

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Ficha de CEL para 12º ano

FICHA DE TRABALHO SOBRE CONHECIMENTO EXPLÍCITO DA LÍNGUA-12ºANO

Ficha de escolha múltipla com a correção no final

“(…) se o Guadiana foi já cenário [de] (…) disputas bélicas, também foi testemunha de uniões bucólicas entre Portugal e Espanha. Sempre que os dois reinos decidiam algum desposório régio, certo e sabido que o ponto de encontro era na fronteira, perto da confluência entre o rio Caia e o Guadiana. Por regra, as comitivas de entrega e receção encontravam-se à beira deste rio e a infanta, espanhola ou portuguesa, ficava então em posse do nobre que a levaria. O seu protocolo foi alterado no início de 1728, quando os dois países se quiseram unir em duplos laços matrimoniais, num evento que ficou conhecido pela “troca das princesas”. Com efeito, em vez de se enviar a infanta portuguesa para Madrid, de modo a casar com o futuro rei espanhol Fernando VI, e receber em Lisboa a princesa castelhana para desposar o futuro rei D. José, fez-se o casório em Caia, com o Guadiana e numerosa comitiva a assistir. E com pompa e circunstância além de muito dinheiro gasto. De facto, para se celebrar os casamentos, fizeram-se dois palácios em madeira, em ambas as margens, concebidos pelos mais distintos arquitetos de cada país. No caso de Portugal, foram incumbidos desta tarefa o bávaro João Frederico Ludovice, arquiteto do convento de Mafra, e pelo romano António Canevari, o primeiro diretor das obras do aqueduto das Águas Livres, na região de Lisboa. Haveriam de se desentender e foram substituídos por um engenheiro militar português.”
In Visão, Suplemento “Guia dos rios e barragens”, nº1

1.   As palavras “desposório”, “matrimoniais” e “casamento” são palavras
a.    derivadas por parassíntese.
b.    derivadas por prefixação.
c.    derivadas por sufixação.
d.    derivadas por prefixação e sufixação.

2.   Na palavra “arquiteto”, o elemento inicial tem o significado de
a.    antigo.
b.    chefia.
c.    em volta de.
d.    excesso.

3.    Qual das palavras que se seguem não é derivada?
a.    desentender.
b.    engenheiro.
c.    comitiva.
d.    casório.

4.      No enunciado “O seu protocolo foi alterado no início de 1728, quando os dois países se quiseram unir em duplos laços matrimoniais, num evento que ficou conhecido pela “troca das princesas”.” “que” é
a.    um pronome relativo.
b.    uma conjunção subordinativa causal.
c.    um pronome interrogativo.
d.    uma conjunção subordinativa consecutiva.

5.      No que concerne ao excerto “No caso de Portugal, foram incumbidos desta tarefa o bávaro João Frederico Ludovice, arquiteto do convento de Mafra, e pelo romano António Canevari”, assinala a frase que está correta:
a.    Esta frase encontra-se na voz ativa.
b.    A frase contém um modificador apositivo.
c.    A palavra “bávaro” significa “relativo à Bavária”.
d.    Neste enunciado existe uma contração.

6.        Em “ficava então em posse do nobre que a levaria”, as palavras são, respetivamente:
a.    verbo-conjunção-conjunção-verbo-preposição-adjetivo-conjunção-determinante-verbo
b.    verbo-advérbio-preposição-nome-preposição-adjetivo-pronome-pronome-verbo
c.    verbo-conjunção-preposição-nome- preposição-nome-pronome-pronome-verbo
d.    verbo-advérbio.-preposição-nome-preposição-nome-pronome-pronome-verbo

7.     Em “O seu protocolo foi alterado no início de 1728”, o complexo verbal destacado é constituído por:
a.    verbo auxiliar da passiva + verbo principal.
b.    verbo auxiliar temporal + verbo principal.
c.    verbo auxiliar aspetual + verbo principal.
d.    verbo auxiliar dos tempos compostos + verbo principal.

8.      Em “Haveriam de se desentender”, a palavra “se” é
a.    uma conjunção subordinativa condicional.
b.    uma conjunção subordinativa completiva.
c.    um pronome pessoal reflexo.
d.    um pronome pessoal recíproco.

9.      Em “se o Guadiana foi já cenário [de] (…) disputas bélicas”, a palavra “se” é
a.    uma conjunção subordinativa condicional.
b.    uma conjunção subordinativa completiva.
c.    um pronome pessoal reflexo.
d.    um pronome pessoal recíproco.

10.              Em “fez-se o casório em Caia”, a palavra “se” tem um valor
a.    inerente.
b.    passivo.
c.    recíproco.
d.    impessoal.


11.              Atenta na frase “De facto, para se celebrar os casamentos, fizeram-se dois palácios em madeira, em ambas as margens, concebidos pelos mais distintos arquitetos de cada país.”. A oração sublinhada é
a.    a oração subordinante.
b.    subordinada adverbial concessiva.
c.    subordinada adjetiva restritiva.
d.    subordinada adverbial final.

12.              De entre os enunciados que se seguem, assinala a alínea onde encontras uma oração subordinada adverbial final.
a.      “Sempre que os dois reinos decidiam algum desposório régio, certo e sabido que o porto o ponto de encontro era na fronteira, perto da confluência entre o rio Caia e o Guadiana.”
b.    “Por regra, as comitivas de entrega e receção encontravam-se à beira deste rio e a infanta, espanhola ou portuguesa, ficava então em posse do nobre que a levaria.”
c.    “Com efeito, em vez de se enviar a infanta portuguesa para Madrid, de modo a casar com o futuro rei espanhol Fernando VI, e receber em Lisboa a princesa”
d.    “E com pompa e circunstância além de muito dinheiro gasto.”

13.              Na frase “Por regra, as comitivas de entrega e receção encontravam-se à beira deste rio e a infanta, espanhola ou portuguesa, ficava então em posse do nobre que a levaria.”, a oração destacada é
a.    subordinada adverbial concessiva.
b.    subordinada adjetiva restritiva.
c.    subordinada substantiva completiva.
d.    subordinada substantiva relativa sem antecedente.

14.              Na mesma frase, temos três sujeitos. Assinala a opção certa.
a.    O primeiro é composto e os outros simples.
b.    Todos são sujeitos simples..
c.    O primeiro é nulo subentendido, o segundo é nulo indeterminado e o último composto.
d.    O primeiro é composto, o segundo é nulo expletivo e o terceiro é simples.

15.              Em “Sempre que os dois reinos decidiam algum desposório régio, certo e sabido que o ponto de encontro era na fronteira”, a oração destacada é
a.    subordinada substantiva completiva.
b.    subordinada substantiva relativa sem antecedente.
c.    subordinada adjetiva relativa restritiva.
d.    subordinada adjetiva relativa explicativa.

16.              “de modo a casar com o futuro rei espanhol” - o verbo “casar” pede
a.    um complemento direto.
b.    um complemento oblíquo.
c.    um complemento do nome.
d.    um modificador do grupo verbal.

17.              Qual é a função sintática exercida pelo grupo de palavras sublinhadas em “Haveriam de se desentender e foram substituídos por um engenheiro militar português.”?
a.    Complemento direto.
b.    Sujeito.
c.    Complemento oblíquo.
d.    Complemento agente da passiva.

18.                O conector “com efeito”, usado no texto, serve para
a.    dar uma opinião.
b.    confirmar uma ideia.
c.    exemplificar.
d.    indicar uma consequência.

19.                Que outro conector, também usado neste texto, tem o mesmo valor que “com efeito”?
a.    No caso de
b.    Sempre que 
c.    de facto.
d.    além de

20.              Quanto à sua tipologia, este é um texto
a.    argumentativo.
b.    narrativo.
c.    descritivo.
d.    instrucional.




Bom trabalho!!!
A PROFESSORA: Lucinda Cunha


Soluções:

1.c
2.b
3.c
4.a
5.b
6.d
7.a
8.d
9.a
10.d
11.d
12.c
13.b
14.a
15.a
16.b
17.d
18.b
19.c
20.b


2 comentários:

  1. As suas fichas são excelentes, obrigada por partilhá-las! E parabéns pelo trabalho que desenvolve...

    ResponderEliminar