Email


Sei que há muita gente que consulta este blogue e utiliza os materiais aqui publicados, mas poucos deixam comentários e eu gostava mesmo de saber a vossa opinião... :-)

quarta-feira, 13 de março de 2013

Ficha sobre funções sintáticas- com correção

48 comentários:

  1. Muito obrigado, estão muito bons os exercicios !

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado, as funções sintáticas sempre foram um dos meus calcanhares de aquiles e esta ficha ajudou-me imenso! Existem muitos exercícios na internet, mas poucos com correções e completos! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faço este trabalho para todos aqueles que, tal como tu, querem aprender. Obrigada pela visita.

      Eliminar
  3. Isto ajudou-me imenso, estava mesmo à procura de uma ficha para treinar! Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada eu, pelas tuas palavras. Espero que a Prova tenha corrido bem. Boas férias!

      Eliminar
  4. Boa noite, acho que em "A Mónica continua o trabalho amanhã", "o trabalho" é predicativo do sujeito, uma vez que continuar é um verbo copulativo. Pode confirmar, por favor?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, boa noite. Nesse contexto o verbo é transitivo direto, uma vez que seleciona um complemento direto," o trabalho", que não se refere a nenhuma característica do sujeito, nem à sua localização espacial ou temporal ( funções do predicativo do sujeito).Em suma, dependendo do contexto, os verbos podem pertencer a subclasses diferentes.Por exemplo, o verbo ser nem sempre é copulativo, pois pode ser auxiliar. Bjinhos ;-)

      Eliminar
    2. Muito obrigada pelo esclarecimento! Beijinhos :)

      Eliminar
    3. Deus, que foi Deus, não agradou a todos;-) provérbio antigo, mas perfeito para responder ao seu comentário! Passe bem!!

      Eliminar
    4. Sim, porém certeiro. Tenha um bom resto de domingo, já que eu estou a corrigir testes... Boa semana :-)

      Eliminar
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  5. Como se identifca modificador de c.o tenho duvidas :\

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Modificador de complemento oblíquo? Não existe. Precisa de reformular a questão, está confusa! Se calhar quer saber como diferenciar um modificador de um complemento oblíquo, será?

      Eliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. Olá professora Lucinda Cunha, eu tenho uma pequena questão bastante pertinente para mim, que já surgiu à imensos anos mas nunca se resolveu, tal como a maioria do alunos, generalizando obviamente, sou um zero à esquerda em funções sintáticas. Neste momento estou no 10º ano e amanhã irei realizar o meu segundo teste e último teste deste período de português, e sei que vai conter uma função sintática, estou literalmente em pânico visto que preciso de tirar positiva, dependo bastante deste teste, e é sempre uma resposta a mais correta que me irá ajudar, visto que também sou um zero à esquerda também orações e não me vou poder 'salvar' nas questões de tal! Pode dar-me uma pequena ajuda ou conselho? Alguma dica? Ficarei bastante agradecida, um beijinho e muito boa tarde. :-)

    ResponderEliminar
  8. Olá, Inês, o primeiro conselho que te posso dar é que não entres em pânico! :-) Claro que deves preocupar-te e empenhar-te, mas nunca desistir e achar que nunca irás compreender.
    Em relação às funções sintáticas, a primeira coisa a fazer é ver se o constituinte é essencial à frase ou dispensável e aí diferencias os complementos e os predicativos (do sujeito e do complemento direto) dos modificadores.
    No caso de o constituinte ser indispensável e exigido pelo verbo, há aqueles truques velhinhos: substituir o C. Direto e o Indireto por um pronome ("o, a, os, as" no primeiro caso; "lhe" no segundo). Quando não souberes se o complemento é direto ou indireto, porque os pronomes de 1ª e 2ª pessoas são iguais, troca o pronome pelo de 3ª pessoa (lhe) e assim distingues logo (Ele convenceu-me: o pronome é igual sendo compl. direto ou indireto; o truque será trocar pela 3ª pessoa: "ele convenceu-o" e não "convenceu-lhe"-logo é de compl. direto). Se o constituinte exigido não for substituível por um pronome é um complemento oblíquo ("Ele veio de França."-impossível dizer "veio-a" ou "veio-lhe"). Lembra-te que o compl. agente da passiva começa pela preposição "por" (simples ou contraída-pelo, pela, pelos, pelas) e o verbo da frase precisa do auxiliar "ser";e que o predicativo do sujeito é exigido por um verbo copulativo (ser, estar, ficar, permanecer, etc.).
    Quanto aos modificadores, o do grupo verbal terá valor temporal, espacial ou modal (Ontem adormeci tarde.- o verbo é intransitivo, pelo que na frase temos dois MGV). O modificador de frase transmite a opinião do falante (Infelizmente, hoje está sol.) e o modificador do nome pode retirar-se da frase (e acompanha o nome, claro). É o caso de "azul", por exemplo, na frase "Ela comprou um vestido azul".
    Poderia explicar mais e melhor, mas assim, à pressa, é o melhor que posso fazer, desculpa.
    Quanto às orações, tens de te lembrar que as substantivas completivas completam o sentido ao verbo, as adjetivas vêm a seguir ao nome e as adverbiais, bem, exercem funções próprias dos advérbios e tens de as estudar bem.
    Espero ter ajudado um pouco e não ter piorado os teus conhecimentos. Bjinhos.

    ResponderEliminar
  9. Ola Professora Lucinda tenho dificuldade nos sujeitos invertido por assim dizer, algum conselho tenho teste amanhã e a minha professora tem tendência a utilizá-los

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peço desculpa, esta mesnagem passou-me ao lado, nem a vi :-( agora já foi tarde.

      Eliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. nunca consigo identificar o complemento obliquo...
    acha que me pode ajudar?

    ResponderEliminar
  12. Olá, boa noite. É fácil identificar o complemento oblíquo quando percebemos algumas coisas muito simples. Primeiro, o complemento oblíquo, normalmente, é um grupo adverbial ou preposicional.
    Repara: O verbo "vestir-se" seleciona os advérbios "bem " ou "mal", por exemplo. Não podes afirmar "Ele veste-se." porque o verbo "vestir-se" é transitivo indireto, isto é, obriga à presença de um complemento oblíquo que, neste caso, é um advérbio.
    Mais duas características: é obrigatório na frase e não o podes substituir por um pronome (como acontece com os complementos direto e indireto). Depois, é ainda selecionado por verbos preposicionais, como "concordar" (com), "gostar" (de), regressar (de/ a), etc. Vejamos o caso concreto do verbo "gostar", tantas vezes mal usado, sem a preposição "de" que é exigida por ele:
    O livro que eu mais gosto é o Memorial do Convento.- ERRADO!!!!
    o livro de que eu mais gosto é o Memorial do Convento.- CORRETO: a presença da preposição é obrigatória.
    Outros verbos que exigem complemento oblíquo (logo, exigem uma preposição):
    ir a; vir de; chegar de; chegar a; entrar em; sair de; etc.
    Em suma, o complemento oblíquo é obrigatório, não se substitui por um pronome e é um grupo preposicional ou adverbial.
    Um exemplo prático:
    "Na floresta, vivia a tribo dos Ajurus."
    A primeira coisa a fazer é ver se algum constituinte pode ser retirado da frase. Neste caso vemos que não, pois todos são obrigatórios. Nem "na floresta", que aos olhos menos atentos parece um modificador! O sujeito da frase está à frente do verbo, o que qur dizer que, na ordem mais comum, a frase ficaria assim: "A tribo dos Ajurus (sujeito) vivia na floresta ". Em suma, "na floresta" é um complemento oblíquo: é obrigatório (a frase não fica correta sem ele), não se pode substituir por um pronome e o verbo "viver" exige a preposição "em".
    Espero ter ajudado e não ter confundido mais ainda. :-)

    ResponderEliminar
  13. Boa tarde:) Excelentes exercícios! Muito obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Ana! Faço o que posso com o pouco tempo que me sobra, às vezes enquanto os meus alunos fazem teste :-) Volte sempre!

      Eliminar
  14. muito bom !!! ajudou me imenso!!! muito obrigado

    ResponderEliminar
  15. muito bom !!! ajudou me imenso!!! muito obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :-D Ainda bem, João! Obrigada pela simpatia!

      Eliminar
  16. Na frase "Mãe, chegaram agora dois clientes" "dois clientes" corresponde ao complemento direto pois faz-se a pergunta "Quem?". Quem é que chegou? Dois clientes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E se a frase fosse "Dois clientes chegaram."????? É sujeito! = Eles chegaram. Não é complemento direto, pois se fosse a frase ficaria assim, substituindo pelo pronome: Chegaram-nos. Correto?

      Eliminar
  17. Na frase "Mãe, chegaram agora dois clientes" "dois clientes" corresponde ao complemento direto pois faz-se a pergunta "Quem?". Quem é que chegou? Dois clientes

    ResponderEliminar
  18. Olá professora! Não percebi porque é que na frase "A Mónica continua o trabalho amanhã.", o trabalho é complemento direto e não predicativo do sujeito. Será que me poderia ajudar? Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Mónica continua-o amanhã= complemento direto. Para ser predicativo do sujeito teria de informar sobre a localização espacial ou temporal do sujeito (não é o caso) ou referir uma sua característisca, como em "Ela continua linda.". Também não é o caso, pois não?

      Eliminar
  19. preciso de ajuda na frase " os alunos portaram-se mal na última aula".

    pode-me explicar porque é que mal é o complemento oblíquo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, boa noite. O verbo "portar-se" exige a presença de um complemento pois é um verbo transitivo cujo sentido fica incompleto sem esse constituinte. Como não pede complemento direto nem indireto (não pode substituir-se por um pronome) só pode ser oblíquo. Bjinhos.

      Eliminar
  20. Boa tarde! Pode me ajudar a distinguir o complemento oblíquo do modificador do grupo verbal? Obrigado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peço desculpa, mas, não sei porquê, não apareceu esta mensagem na listagem dos comentários. Vi por acaso e tive pena pois gosto de responder. Agora já é tarde para responder, não é? Seja como for, o Modificador pode retirar-se da frase; já o Compl. oblíquo é obrigatório, exigido pelo verbo, e não pode ser substituído por um pronome. Bjinhos.

      Eliminar
  21. AS SOLUÇOES ESTAO PESSIMAS, mas os exxercicios estão muito bons, tem muitos erros as soluçoe logo na 4 pergunta e cd e não sujeito ,"quem espera sempre acança", "quem espera" não e sujeito por isso e que acho muito mal feito as soluções e também espero que va pa puta que a pariu xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sua má-criação é equivalente à sua cobardia e ignorância. Felizmente, 99% das pessoas que visitam este blogue são simpáticas e educadas. Passe bem.

      Eliminar
  22. Meu amigo,

    Além de mal-educado, é burro...

    "Quem espera" é, indubitavelmente, sujeito, dono da ação, (alcançar) e nunca poderia ser complemento direto, a não ser na frase:
    "Quem espera sempre alcança os seus objetivos", na qual o complemento seria "os seus objetivos".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixe lá, Mateus, havemos de conviver sempre com gente assim... Obrigada pela visita. ;-)

      Eliminar
  23. ou faço basquete ou faço natação", qual é a oração subordinada?

    ResponderEliminar