Email


Sei que há muita gente que consulta este blogue e utiliza os materiais aqui publicados, mas poucos deixam comentários e eu gostava mesmo de saber a vossa opinião... :-)

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Ficha de verificação de documentário

O Sermão de Santo António aos Peixes do Padre António Vieira, "o imperador da língua portuguesa".

O documentário podem encontrá-lo no youtube, basta procurar "Grandes livros: O Sermão de Santo António aos Peixes " :



Ficha de verificação de visualização do documentário “Grandes Livros: Sermão de Santo António aos peixes

Diz se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)  e corrige as falsas no teu caderno:
1.     No século XVII, o Catolicismo sofreu um golpe com o nascimento das Igrejas Protestantes. ___
2.     O sermão era uma forma literária de os pregadores conseguirem realizar a tarefa de angariar escravos para as missões. ___
3.     O perfil dos pregadores era cuidadosamente controlado e valorizava-se a roupa, os gestos, o aspeto, o olhar, a voz. ___
4.     Naquela altura nasceu um dito devido à amizade entre o Pᵉ António Vieira e D. João IV: “Amanhã, vou pôr tapete em S. Roque.” ___
5.     Camões chamou a Vieira o “imperador da língua portuguesa”. ___
6.     O Pᵉ António Vieira pregou em Portugal, no Brasil e em Roma. ­­­___
7.     Redigiu cerca de 700 sermões e 200 cartas. ___
8.     O Sermão de S. António aos peixes trata de um assunto intemporal: a variedade enorme de peixes e o que eles fazem para se comer uns aos outros devido à ambição do poder. ___
9.     O segundo sermão mais conhecido será o Sermão da Quinquagésima. ___
10.   Pᵉ António Vieira chama aos pregadores “o sal da terra” porque este impede a corrupção. ___
11.   A citação usada no início do sermão, “Vos estis sal terrae.”, é da autoria de S. Mateus. ___
12.   Aproveitando o facto de Portugal ter perdido a soberania, os franceses conquistaram grande parte das feitorias da Índia, China, Japão, entre outras. ___
13.   Nesta nova conjuntura política, o interesse de Portugal vira-se para o Brasil. ___
14.   Os portugueses não queriam colonizar o Brasil, que estava a ser colonizado por escravos africanos. ___
15.   Naquela altura, o Brasil era composto por dois estados: o estado do Brasil e o do Recife. ___
16.   Pᵉ António Vieira foi para o Brasil com 13 anos, quando o pai foi nomeado escrivão da Relação da Baía. ___
17.   Santo António, como os homens não o ouviam, virou-se para o mar e os peixes puseram a cabeça de fora para o escutarem pregar. ___
18.   Vieira aprende a ler e escrever no Colégio dos Jesuítas. Um dia fugiu de casa porque ficou tão impressionado com um sermão sobre as penas do Inferno que foi pedir ao Superior que o deixasse entrar para a Ordem. ___
19.   É tão dotado que se torna professor de retórica antes de ser ordenado padre. ___
20.   Movimenta-se facilmente pela Baía e o seu nome fica famoso rapidamente. ___
21.   Apesar de ser neto de portugueses, abraça a causa de defesa indígena. ___
22.   Entre os índios é tão admirado que lhe chamam “Pequeno Deus”. ___
23.   O Sermão de S. António aos peixes tem uma arquitetura bem marcada: na primeira parte elogia as virtudes dos peixes, na segunda critica os vícios. ___
24.   Louva a antiguidade e a dimensão dos peixes, a sua obediência, quietude e impossibilidade de serem domesticados. ___
25.   Entre os peixes que ele critica está o “quatro-olhos”, sempre atento ao céu e ao inferno. ___
26.   Na segunda parte critica roncadores, pegadores, voadores e o polvo, que simboliza a traição. ___
27.   Nesta época, Portugal sofreu grandes transformações. Depois de 60 anos de ocupação filipina, Portugal restaurava a sua independência em 1640. ___
28.   Quem sucedeu ao reinado espanhol foi D. João IV. ___
29.   Vieira não apoiava o novo rei, mas vem do Brasil apresentar a fidelidade da colónia. ___
30.   D. João IV vai encantar-se com Vieira, convida-o para seu conselheiro pessoal e torna-o precetor de D. Pedro, o seu filho mais novo. ___
31.   António Vieira passou a ser um diplomata e tratava de todos os assuntos importantes para Portugal. ___
32.   Nessa altura viajou e conheceu a França, a Holanda, a Inglaterra e a Itália. ___
33.   A Inquisição não gostava da simpatia de Vieira pelos índios, escravos e judeus. ___
34.   Os discursos humanistas de Vieira causam tanto incómodo que se criam boatos. Há mesmo quem garante que se vai casar com uma judia. ___
35.   A amizade do rei protege-o da prisão, mas não impede que tenha de viajar de novo para o Brasil ___
36.   Cria a Companhia para o comércio com o Brasil e consegue o fim do confisco dos bens dos judeus. ___
37.   Vieira pregou este sermão, pela primeira vez, no dia 24 de Junho de 1654. ___
38.   O Sermão de S. António aos peixes é um sermão onde Vieira consegue ser furioso e muito habilidoso no modo como desfere as críticas. ___
39.   Neste sermão, Vieira critica os pregadores, os colonos que tratavam os índios como escravos e animais, os fracos e os traidores, os dois milhões de nativos mortos e as mais de quinhentas povoações destruídas no espaço de quarenta anos. ___
40.   Três dias depois de proferir o polémico sermão, Vieira embarca de novo para Portugal para pedir a D. João IV que colocasse os índios sob a alçada dos missionários, fora do alcance dos colonos. ___
41.   Quando regressa ao Brasil, traz na bagagem a nova lei de proteção dos índios e é cada vez mais odiado. ___
42.   Depois da morte de D. João IV, sobe ao trono D. Pedro, que detestava Vieira. ___
43.   Depois de passar os últimos anos a evangelizar, a erguer igrejas e a elaborar catecismos em dialetos diferentes, os colonos prendem-no na Igreja de S. João Batista e expulsam-no do Brasil. ___
44.   Já em Portugal, e sem a proteção do rei, Vieira é acusado de heresia pela Inquisição. ___
45.   Vieira, seguindo as ideias de Bandarra que, no século anterior, profetizava um quinto império para Portugal, vai mais longe e anuncia a ressurreição de D. Sebastião, o que lhe traz graves problemas com a Inquisição. ___
46.   António Vieira ficou preso numa cela em Coimbra, proibido de escrever e de pregar. ___
47.   Vieira é libertado quando a Inquisição recebe a ordem de libertação enviada pelo Papa. ___
48.   O pregador não é querido em Portugal, nem pode regressar ao Brasil, pelo que decide ir para Roma. ___
49.   A rainha Cristina da Suécia encanta-se com ele e quer que seja seu pregador pessoal, o que ele  aceita. ___
50.   O Papa Clemente X tem-lhe admiração e concede-lhe dois benefícios- a abolição da Inquisição /Santo Ofício em Portugal e um documento que o isentava, até ao fim dos seus dias, de qualquer dependência da Inquisição. ___
51.   Aos 73 anos, Vieira fica finalmente livre da Inquisição e regressa ao Brasil para morrer. ___
52.   Cego e quase surdo, dita os seus sermões e cartas que nunca deixou de escrever. ___
53.   Vieira continua a ser polémico porque defendia a escravatura dos africanos. ___
54.   Em 1697 morreu com 80 anos, na Baía. ___
55.   O seu epitáfio, escreveu-o ele próprio num sermão que proferiu em Roma: “Nascer pequeno e morrer grande é chegar a ser homem. Por isso nos deu Deus tão pouca terra para o nascimento e tantas para a sepultura. Para nascer, pouca terra. Para morrer, toda a terra. Para nascer, Portugal. Para morrer, o mundo.”





Proposta de correção
Afirmações falsas:
2. O sermão tinha a tarefa de educar e seduzir as almas;
4. O dito nasceu devido à enorme afluência às igrejas onde Vieira pregava, o que obrigava à reserva de lugar na véspera;
5. Quem disse isso foi Fernando Pessoa;
7. Redigiu à volta de 200 sermões e 700 cartas;
9. Sermão da Sexagésima;
12. Ingleses e holandeses, e não os franceses;
15. Estado do Brasil e Estado do Grão-Pará e Maranhão;
16. com 6 anos;
21. Era neto de avó africana;
22. “Pai Grande”;
25. Quatro-olhos é elogiado no sermão;
29. Vieira apoiava a restauração;
37- 13 de junho
42. D. Afonso (VI);
45. Vieira anunciava a ressurreição de D. João IV;
47. Quando D. Pedro II sobe ao trono, Vieira é libertado;
49. Vieira recusa o convite;
54. 89 anos.

2 comentários:

  1. Lucinda Cunha, primeiro, parabéns pelo trabalho que tem com este blog; segundo, tenho esta página nos Favoritos; terceiro, a Lucinda tem trabalhos interessantíssimos, muito direcionados e ótimo para alunos e professores. Tenho aconselhado este blog da Lucinda a muitas colegas. Obrigada pelo trabalho que dispõe aos outros de forma desinteressada e amiga! Muito obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Teresa, por tantos elogios acumulados :-). Gosto de ajudar. Bjinhos.

      Eliminar